Bom dia! Hoje é sexta-feira, 23 de agosto de 2019 | 04:37

Biografia de Irmão X (Humberto de Campos) / Web Rádio Vida Espírita - Andradina/SP
Imprimir matéria

09/03/2016 [09h20] | Biografias

Biografia de Irmão X (Humberto de Campos)

Humberto de Campos nasceu na pequena localidade de Piritiba, no Maranhão, em 1886.
Biografia de Irmão X (Humberto de Campos)

Foi menino pobre. Estudou com esforço e sacrifício. Ficou órfão de pai aos 5 anos de idade. Sua infância foi marcada pela miséria. Em sua "Memórias", ele conta alguns episódios que lhe deixaram sulcos profundos na alma.


Tempo depois, mudou-se para o Rio de Janeiro, então Capital da República, onde se tornou famoso. Brilhante jornalista e cronista perfeito, suas páginas foram "colunas" em todos os jornais importantes do País.


Dedicou-se inteiramente à arte de escrever, e por isso eram parcos os recursos financeiros. A certa altura da sua vida, quando minguadas se fizeram as economias, teve a ideia de mudar de estilo.


Adotando o pseudônimo de Conselheiro XX, escreveu uma crônica chistosa a respeito da figura eminente da época - Medeiros e Albuquerque-, que se tornou assim motivo de riso, da zombaria e da chacota dos cariocas por vários dias.


O Conselheiro, sibilino e mordaz, feriu fundo o orgulho e a vaidade de Medeiros, colocando na boca do povo os argumentos que todos desejavam assacar contra Albuquerque. O sucesso foi total.


Tendo feito, por experiência, aquela crônica, de um momento para outro se viu na contingência de manter o estilo e escrever mais, pois seus leitores multiplicaram, chovendo cartas às redações dos jornais, solicitando novas matérias do Conselheiro XX.


Além de manter o estilo, Humberto se foi aprofundando no mesmo, tornando-se para alguns, na época, quase imortal, saciando o paladar de toda uma mentalidade que desejava mais liberdade de expressão e mais explicitude na abordagem dos problemas humanos e sociais.


Quando adoeceu, modificou completamente o estilo. Sepultou o Conselheiro XX, e das cinzas, qual Fênix luminosa, nasceu outro Humberto, cheio de piedade, compreensão e entendimento para com as fraquezas e sofrimentos do seu semelhante.


A alma sofredora do País buscou avidamente Humberto de Campos e dele recebeu consolação e esperança. Eram cartas de dor e desespero que chegavam às suas mãos, pedindo socorro e auxílio. E ele, tocado nas fibras mais sensíveis do coração, a todas respondia, em crônicas, pelos jornais, atingindo milhares de leitores em circunstâncias idênticas de provações e lágrimas.


Fez-se amado por todo o Brasil, especialmente na Bahia e São Paulo. Seus padecimentos, contudo, aumentavam dia-a-dia.

Parcialmente cego e submetendo-se a várias cirurgias, morando em pensão, sem o calor da família, sua vida era, em si mesma, um quadro de dor e sofrimento. Não desesperava, porém, e continuava escrevendo para consolo de muitos corações.


A 5 de dezembro de 1934, desencarnou. Partiu levando da Terra amargas decepções. Jamais o Maranhão, sua terra natal, o aceitou. Seus conterrâneos chegaram mesmo a hostilizá-lo.


Três meses apenas de desencarnado, retornou do Além, através do jovem médium Chico Xavier, este, com 24 anos de idade somente, e começou a escrever, sacudindo o País inteiro com suas crônicas de além-túmulo.


O fato abalou a opinião pública. Os jornais do Rio de Janeiro e outros estados estamparam suas mensagens, despertando a atenção de toda gente. Os jornaleiros gritavam. Extra, extra! Mensagens de Humberto de Campos, depois de morto! E o povo lia com sofreguidão...


Agripino Grieco e outros críticos literários famosos examinaram atenciosamente a produção de Humberto, agora no Além. E atestaram a autenticidade do estilo. "Só podia ser Humberto de Campos!" - afirmaram eles.


Começou então uma fase nova para o Espiritismo no Brasil. Chico Xavier e a Federação Espírita Brasileira ganharam notoriedade. Vários livros foram publicados.


Aconteceu o inesperado. Os familiares de Humberto moveram uma ação judicial contra a FEB, exigindo os direitos autorais do morto!
Tal foi a celeuma, que o histórico de tudo isto está hoje registrado num livro cujo título é "A Psicografia ante os Tribunais", escrito por Dr. Miguel Timponi.


A Federação ganhou a causa. Humberto, constrangido, ausentou-se por largo período e, quando retornou a escrever, usou o pseudônimo de Irmão X.


Nas duas fases do Além, grafou 12 obras pelo médium Chico Xavier.


"Crônicas de Além-Túmulo", "Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho", "Boa Nova", "Novas Mensagens", "Luz Acima", "Contos e Apólogos" e outros foram livros que escreveu para deleite de muitas almas.


Nas primeiras mensagens temos um Humberto bem humano, com características próprias do intelectual do mundo. Logo depois, ele se vai espiritualizando, sutilizando as idéias e expressões, tornando-se então o escritor espiritual predileto de milhares.


Os que lerem suas obras de antes, e de depois, de morto, poderão constatar a realidade do fenômeno espírita e a autenticidade da mediunidade de Chico Xavier.


O mesmo estilo, o mesmo estro!

Fonte: LuzEspirita

Comentários

Outras matérias

  • Momento Espirita

    Casa em ruínas

    Maria de Magdala ouvira as pregações do Evangelho do Reino, não longe da vila principesca onde vivia entregue a prazeres, em companhia de patrícios romanos. Tomara-se de admiração profunda pelo Messias. Que novo amor era aquele apregoado aos pescadores si...
  • Estudos

    Perdão e Liberdade

    Aprendamos a perdoar, conquistando a liberdade de servir.
  • Reflexões

    Tributo à vida

    Era somente um rapaz e nos chamou a atenção porque pulou a grade de segurança da extensa ponte, saltando para um dos pilares, na parte de dentro do rio. Notava-se que a chuva insistente, do dia anterior, tornara as águas turbulentas. Ficamos curiosos...
  • Artigos

    A metamorfose

    Interessante se observar uma borboleta pousada sobre uma folha nova, especialmente escolhida por ela. Uma que não caia antes da saída das lagartinhas do ovo. Ela dobra o abdome até sentir a face inferior da folha e ali coloca o ovo. Por essas maravilh...
  • Reflexões

    A recompensa da gratidão

    Ela viera das terras distantes de Cesaréia de Filipe, na Decápole. Era considerada impura, pois há doze anos um fluxo sanguíneo não a deixava. Recorrera a todos os métodos possíveis, na ânsia da cura. Tudo inútil. Seu mal era considerado um sinal de de...

RECADOS

  • Pierre Braga | Varginha - MG

    Ouça músicas espíritas; https://www.palcomp3.com/pierrebraga2018/discografia/musicas-espiritas/

    16/03/2019 às 12h17

  • DIVA ZENAIDE CAPPI DE CAMPOS | Campo Grande - MS

    Gostei muito do trabalho de divulgação da doutrina, lindo fundo musical. Nasci em Andradina em berço espírita. Parabéns.

    13/02/2019 às 16h56

  • Camilla Dutra | Campinas - SP

    Gostaria de saber qual a formação da Dra. Anete. Mesmo que não concluída.

    06/11/2018 às 17h59

Escrever recado

NOVIDADES

Assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades!

«« Web Rádio 'Vida Espírita' - Andradina/SP - Divulgando a doutrina espírita! - Copyright © 2015-2019 Todos os Direitos Reservados »»
0%
Streaming Local7 Sites